Actor: ALUSA

Tipo de Actor: 
Code: 
PR-BRCOA1
Espacios de Trabajo: 

Relaciones de este actor

ID Actor 1 Actor 2 Tipo Evidencia
57796 ALUSA SERGIO CABRAL Political - Financing political campaing of QUE a única vez que tratou do pagamento de vantagem indevida por parte dessa empresa foi numa reunião realizada em quarto do hotel CAESAR PARK no bairro de LEBLON ou IPANEMA, cujos detalhes constam no termo de declaração nO 4; QUE o contato regular dessa empresa era a pessoa de CLAUDIO LIMA; QUE estavam presentes nesta reunião do hotel os representantes da SKANSKA, CLAUDIO LIMA, da ALUSA, CESAR LUIZ DE GODOY PEREIRA, da TECHINT, RICARDO OURIQUE, podendo ter participado desta reunião outras empresas que não se recorda os nomes; QUE quem marcou a reunião foi o secretário REGIS FISHNER para solicitação de "ajuda" para o caixa da campanha de reeleição do governador SERGIO CABRAL; QUE cada empresa deu a sua "ajuda", sendo pago no total R$ 30 milhões de "ajuda"; QUE o CONSÓRCIO CONPAR deu R$ 15 milhões, sendo que o restante foi divido entre as outras empresas, estando entra estas a SKANKA, ALUSA e UTC, além de outras empresas que o declarante não lembra o nome; QUE CLAUDIO LIMA era muito próximo também de VALDEMAR DA COSTA NETO do PR, ex-deputado federal condenado no mensalão;
57776 ALUSA PAULO ROBERTO COSTA Economic - Financial transactions to empresas menores para participarem dos certames, dentre elas SANTA BARBARA, MUL TITEC, FIDENS, TENASSE, ALUSA, EIT, JARAGUA, no sentido de quebrar um pouco o monop61iodas empreiteiras maiores, acrescentando que a participação de cada. uma se deu em segmentos em que elas de fato teriam capacidade de atuar; QUE,essasua iniciativa em desrespeito as regras do cartelocasionou uma reação das grandes empreiteiras, te.ndo sido procurado por alguns diretores e representantes que lhe disseram qúeiria"quebrariaa cara", .sendo que em alguns casos isso efetivamente ocorreu; pois essas empresas menores não conseguiram executar os contratos e acabaram falindo;; QUE, perguntado se essa iniciativa teria por objetivo aumentar as suas comissões, . afirma que não,na realidade estava um pouco cansado desse esquema e a única maneira de aCélbarcom:ele seria enfraquecendo o cartel ou saindo da diretoria; QUE, não obstante, acabou recebendo. comissões espontãneas por parte da ALUSA (dois milhões) e da FIDENS (200 mil reais); QUE, no caso da MPE, ao contrário das empresas anteriormentecitadas, tratava-se de um empreendimento de médio porte; sendo portanto esperado que ela . contribuísse c()m a verba destinada a fins políticos ao Partido Progressista
57773 ALUSA MPE MONTAGENS E PROJETOS ESPECIAIS Logistic - being a subsidiary company of empresas menores para participarem dos certames, dentre elas SANTA BARBARA, MUL TITEC, FIDENS, TENASSE, ALUSA, EIT, JARAGUA, no sentido de quebrar um pouco o monop61iodas empreiteiras maiores, acrescentando que a participação de cada. uma se deu em segmentos em que elas de fato teriam capacidade de atuar; QUE,essasua iniciativa em desrespeito as regras do cartelocasionou uma reação das grandes empreiteiras, te.ndo sido procurado por alguns diretores e representantes que lhe disseram qúeiria"quebrariaa cara", .sendo que em alguns casos isso efetivamente ocorreu; pois essas empresas menores não conseguiram executar os contratos e acabaram falindo;; QUE, perguntado se essa iniciativa teria por objetivo aumentar as suas comissões, . afirma que não,na realidade estava um pouco cansado desse esquema e a única maneira de aCélbarcom:ele seria enfraquecendo o cartel ou saindo da diretoria; QUE, não obstante, acabou recebendo. comissões espontãneas por parte da ALUSA (dois milhões) e da FIDENS (200 mil reais); QUE, no caso da MPE, ao contrário das empresas anteriormentecitadas, tratava-se de um empreendimento de médio porte; sendo portanto esperado que ela . contribuísse c()m a verba destinada a fins políticos ao Partido Progressista

Relaciones de este actor

ID Actor 1 Actor 2 Tipo Evidencia
57753 TOME ENGENHARIA ALUSA Economic - Being business partners with "QUE,faziam "" parte desse consorcio' as empreiteiras ALUSA e a GALVAO ENGENHARIA, sendo que a ultima participava do cartel;QUE, os seus contatos com a empresa TOME eram feitos ,na pessoa do Presidente CARLOS ALBERTO OLIVEIRA E SILVA; QUE, no ano de 2011 a TOME venceu outra licitação para fazer uma obra na Refinaria deCubatao, por meio de um consorcio em que participava a empresa francesa TECHINIP; QUE, foi solicitado por MARIO NEGROMONTE do PP que o declarante fizesse uma reunião com O dirigente da TOME.a fim de que fosse solicitado b repasse usual de cunho'politico"
57357 CESAR LUIZ DE GODOY PEREIRA ALUSA Logistic - Being the representative of "QUE a reserva no quarto de hotel foi feita por REGIS; QUE o declarante fez contatos com algumas empresas que atuavam na obra da COMPERJ para participar desta reunião, sendo que nesta oportunidade foi explicado para as empresas que elas deveriam ""ajudar"" a campanha do governador, fazendo pagamentos para o caixa ""2""; QUE estavam presentes nesta reunião os representantes da SKANSKA, CLAUDIO LIMA, da ALUSA, CESAR LUIZ DE GODOY PEREIRA, da TECHINT, RICARDO OURIQUE, podendo ter participado desta reunião outras empresas que não se recorda os nomes"